quinta-feira, 18 de abril de 2013

Síndrome de Alice

Alice: Poderia me dizer, por favor, que caminho devo tomar para sair daqui?
Gato: Para onde você quer ir?
Alice: Eu não sei, tanto faz. Quero apenas sair daqui.
Gato: Bem, para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.
 
(Adaptado da obra “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, onde Alice cai em um mundo desconhecido. Ela cai dentro de si mesma)

Muitas pessoas sofrem da Síndrome de Alice: Não sabem onde estão e, muito menos onde querem estar. Em outras palavras, falta de autoconhecimento e ausência de objetivos, como um barco sem leme, à deriva, sem direção.

Pessoas que “sofrem” da Síndrome de Alice, tornam-se coadjuvantes de suas próprias vidas, preferem ficar olhando a vida passar, acomodadas confortavelmente no banco do passageiro ao invés de pagar o preço do planejamento, da dedicação e da disciplina para assumir a direção de suas vidas. A estas pessoas restam apenas duas opções: chegar a qualquer lugar ou a lugar nenhum.

Pessoas com Síndrome de Alice geralmente reclamam de seus empregos, do estilo de vida, das circunstâncias, da conjuntura econômica, enfim, reclamam da vida, e sem perceber, deixam passar as oportunidades que a vida lhes apresenta.

Estudos sobre pessoas de sucesso apontam as seguintes características em comum. Essas pessoas…
  • Têm noção de propósito de vida;
  • Estabelecem metas e planejam o futuro;
  • Gostam do que fazem;
  • Estão dispostas a investir tempo, energia e esforço na conquista de seus objetivos;
  • São persistentes em tornar seus sonhos realidade.
Então, qual é a sua visão de futuro? O que você quer conquistar em sua vida nos próximos anos? Quais são as suas metas para este ano? E para o próximo ano? O que você está fazendo para realizá-las? Não deixe que a Síndrome de Alice pegue você!

terça-feira, 2 de abril de 2013

A Chave do Sucesso!

Certa vez um jovem perguntou a um conhecido mentor e filósofo, enquanto caminhava com ele em sua fazenda:

- Em sua visão, qual é a chave que abre as portas do sucesso na vida de um ser humano?
Como já era final de tarde, apontando para as pombas que enchiam o pombal da fazenda, o filósofo respondeu:


- Tire um pombo-correio daquele pombal, coloque-o em uma gaiola, cubra-a com um cobertor, coloque-a dentro de uma caixa e ponha no porta-malas de seu carro. Em seguida, dirija por mil quilômetros em qualquer direção. Se, em seguida, libertar o pombo-correio, perceberá que ele voará três vezes em círculo e, em seguida, partirá sem hesitação, de volta para o seu pombal, há mil quilômetros de distância. Aqui está a chave!




Percebendo que o jovem não havia compreendido completamente a analogia, o filósofo concluiu:


- O senso de direção voltado para uma meta específica é a chave do sucesso. É a capacidade de estabelecer um ponto de chegada, um alvo, que nos impede de nos perdermos no meio da jornada. Além do pombo-correio, não há nenhum outro ser vivo na terra dotado desta incrível função cibernética de buscar suas metas, exceto o homem

 
Para cada pessoa, a palavra “sucesso” tem um significado diferente, contudo, independentemente do que “sucesso” significa pra você, ele somente se tornará uma realidade em sua vida, se buscá-lo com diligência, determinação e disciplina.

Um dos ensinamentos mais importantes que o filósofo grego Aristóteles deixou para a humanidade, é que o homem é um organismo teleológico, onde “teleos” significa metas. Aristóteles concluiu que toda ação humana tem algum propósito, e que esse propósito é que dá significado à vida, e por fim, que sem significado não há sucesso.


Qual é o seu propósito de vida? Por que e para que você acorda todas as manhãs? Onde quer estar, o que quer estar fazendo, e com quem deseja estar daqui cinco anos? Quais são as metas que estabeleceu para este ano, que o ajudarão a conquistar o que deseja no futuro? 


Quanto você tem se empenhado em estabelecer um propósito para sua vida e, trabalhar para que este propósito se estabeleça?

Quando estiver satisfeito com as respostas que você mesmo der a estas perguntas, é bem provável que esteja trilhando um caminho de sucesso em sua vida.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Perfil de Empreendedor

Em momentos de crise que conhecemos realmente as pessoas, assim também acontece com os verdadeiros empreendedores.

As decisões precisam ser tomadas, breves e certeiras, apesar das indecisões, quanto mais precisa melhor.

É uma questão de sensibilidade revestida por conhecimento e coragem.

Se tiver que demitir, demita, mas fale a verdade, olhando nos olhos de quem está sendo despedido.

Se tiver que cortar fonecedores, faça, mas deixe as portas abertas, num futuro próximo você poderá precisar dele novamente.

Aos empregados e demais parceiros que permanecerem com vínculos com sua empresa explique que a sobrevivência de ambos dependerá de um algo mais de cada um.

Do empregado, mais dedicação.

Do fornecedor, mais qualidade, pontualidade e preço.

Dos demais parceiros o comprometimento com o seu negócio, dentro de um conceito “ganha – ganha”.

Em momentos de dificuldades é que paramos para avaliar o que fizemos de certo e de errado, não conheço oportunidade melhor para discutir processos, custos e produtividade.

O medo de perder o emprego, o cliente, as vendas, faz com que as pessoas abram os canais de comunicação e fiquem atentos as propostas que serão feitas.

Ninguém quer perder, o que acontece é que acabamos nos acomodando quando vivemos longos períodos de calmaria.

Não que eu defenda a crise, mas sem dúvida que ela nos deixa mais alerta.

Os periodos de dificuldade se encarregam de fazer a seleção natural das espécies e os empreendedores também não escapam de ser colocados a prova a todo momento.

Mais adrenalina, mais criatividade, sempre existirão oportunidades,
Que todos consigam superar esse período de tubulência e saiam fortalecido pelas experiências.

Os empreendedores mais preparados estarão a frente do processo de mudança e das suas mãos acabam se materializando as oportunidades mais lucrativas e prósperas, que serão os motores do novo ciclo de crescimento que está por vir.

quarta-feira, 6 de março de 2013

O Velório! (Texto Motivacional)

Certo dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme no qual estava escrito:
 
Faleceu ontem a pessoa que impedia seu crescimento na empresa. Você está convidado para o velório que acontecerá na quadra de esportes“.

No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas ficaram curiosos para saber quem estava bloqueando seu crescimento na empresa.
A agitação na quadra de esportes era tão grande que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório.
http://1.bp.blogspot.com/-FfmONTl5ykc/UDf7ZKJ70pI/AAAAAAAACUM/bW9ypvwGBWk/s1600/espelho+e+imagem.jpg 
Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:

- “Quem será que estava atrapalhando o meu progresso? Ainda bem que esse infeliz morreu!”

Um a um, os funcionários, agitados, aproximavam-se do caixão, olhavam o defunto e, em seguida ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma.

É que dentro do caixão havia um espelho!

Esta é a mais pura verdade: só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: você mesmo! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida.

Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.

Sua vida não muda quando seu chefe muda, ou quando a empresa muda, ou quando seus pais mudam, ou quando seu parceiro(a) muda. Sua vida muda quando você muda!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O Fax do Nirso!

O Gerente de Vendas, Sr. Gomes, recebeu o seguinte Fax de um de seus novos vendedores:
 
“Seo Gomis, o criente de Belzonte pidiu mais cuatrucenta pessa. Faz favor tomá as providenssa. Abrasso, Nirso”.

Aproximadamente uma hora depois, recebeu outro fax do “Nirso”:

“Seo Gomis, Os relatório di venda vai xegá atrazado proque to fexando umas venda. Temo que mandá mais treis mil pessa. Amanhã to xegando. Abrasso, Nirso”.

No dia seguinte, outro fax:

“Seo Gomis, num xeguei pucausa de que vendi mais deis mil pessa em Beraba. Tô indo pra Brazilha. Abrasso, Nirso”.
E no outro dia…

“Seo Gomis, Brazilha Fexô 20 mil pessa. Vô pra Frolinópolis e de lá pra Sum Paulo no vinhão das cete hora. Abrasso, Nirso”.

E assim foi o mês inteiro.

O Sr. Gomes, muito preocupado com a imagem da empresa, levou ao presidente as mensagens que recebera do vendedor.

O Presidente, escutou atentamente, olhou os faxes, e comentou:

- Deixa este problema comigo. Eu tomarei todas as providências necessárias.

No mesmo dia, ele redigiu de próprio punho um aviso e o afixou no mural da empresa, juntamente com as mensagens do “Nirso”:

A parti de oje, nóis tudo vamo fazê feito o Nirso. Si priocupá menos em iscrevê serto, mode vendê maiz. Acinado, o Prezidenti”.

É mais fácil treinar o “Nirso” pra melhorar a escrita, do que perder um ótimo vendedor. Quando damos demasiada atenção ao ordinário, deixamos de enxergar o extraordinário.

Algumas competências e habilidades podem ser desenvolvidas, outras nem tanto, por isso o Líder precisa saber identificá-las, destacando as melhores e apoiando na evolução daquelas que precisam de melhoria.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Leve seu cliente a sério!

Uma das tarefas mais desafiadoras na gestão de uma empresa é a conquista e a manutenções de clientes, SATISFEITOS.

Quando ele compra é bom.

Quando compra e paga ele é excelente.

Se comprar, pagar e reclamar, muda o tratamento, passa a ser um injusto, chato ou exigente demais.
Vou relatar sobre uma entrevista na rádio CBN, onde a discussão era sobre a possibilidade das operadoras que vendem acesso a internet terem que garantir a entrega de no mínimo 60% da velocidade a qual vendem.

Explico melhor:


Hoje se você adquire um plano de internet de 1 mega, via modem 3G, a operadora telefônica, por contrato garante a entrega de 10% ou seja, 100 kb, os outros 900 kb de velocidade você conseguira atingir, com muita sorte, nas madrugadas.  Na média o cliente fica com 250 kb, sendo que comprou e paga por 1 mega.

Nas conexões via cabo não é muito diferente. Isso não é venda , tem outro nome, é enganação.

Por essas e outras que elas disputam entre si os primeiros lugares do ranking de reclamações junto ao PROCON.

Este é um simples exemplo, poderia citar aqui dezenas deles, mas não é o caso.

Quando entramos nos sites institucionais das empresas, principalmente as maiores, encontramos bonitas páginas com MISSÃO , VALORES e CÓDIGOS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (nova moda), onde o cliente figura como rei absoluto.

Não prática, creio que sejam apenas nessas declarações formais que eles figuram realmente como importantes, pois, raras são as empresas que entregam de fato o que prometem e que conseguem atingir um nível de satisfação elevado junto a sua carteira de clientes.

Lanço um desafio, experimente, na sua empresa cuidar pessoalmente das 100 próximas vendas realizadas.
Acompanhe o passo a passo desde o primeiro contato com o cliente, a compra, a entrega, e ao final, pessoalmente, por telefone ou por e-mail entre em contato com ele, se identifique como o dono da empresa e peça a sua mais sincera avaliação da impressão que ele teve da sua empresa como um todo e que o poderia ser melhorado, sob o ponto de vista dele, como cliente, para que ele retorne mais vezes.

Caro amigo, se sofrer do coração recomendo que consulte o seu cardiologista antes, pois, esteja preparado para viver fortes emoções.

Alguns desses clientes falarão a verdade, seja humilde e aceite as críticas, para o bem da sua empresa.
Temos o péssimo habito de achar que somos perfeitos e fazemos o melhor que podemos, nos e nas nossas empresas.

Nem sempre é essa a percepção verdadeira daqueles que são os seus clientes, acredite e mude,  PARA MELHOR!!!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

As Três Peneiras! (Liderança)

Olavo foi transferido de setor. Logo no primeiro dia, para fazer média com o novo chefe, saiu-se com esta:
 
– Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Marco; Disseram que ele…

Antes mesmo de terminar a frase, Juliano, o chefe, o interrompeu:

- Espere um pouco Olavo, o que vai me contar sobre o Marco já passou pelo crivo das três peneiras?

- Peneiras? Que peneiras, chefe?

- A primeira peneira é a da VERDADE. Você tem certeza que o que vai me contar sobre o Marco é absolutamente verdadeiro?

- Não. Só sei o que me contaram, mas acho que…

E, novamente Olavo é interrompido pelo chefe.

- Então sua história já vazou a primeira peneira.

Vamos então para a segunda; a peneira da BONDADE.

O que você vai me contar é algo bom? Gostaria que os outros também dissessem isso a seu respeito?

- Claro que não! Deus me livre, chefe! – responde Olavo assustado.

- Então – continua o chefe – Sua história vazou também a segunda peneira.

Vamos ver a terceira peneira, que é a da NECESSIDADE.

Você acha mesmo necessário me contar esse fato ou passá-lo adiante? Ele ajuda a resolver alguma coisa? Pode ajudar a melhorar algo em nosso dia-a-dia?

- Sinceramente não, chefe. É, passando pelo crivo das três peneiras, vi que não sobrou nada do que eu iria contar – comentou Olavo, um pouco decepcionado.
 
- Pois é, Olavo. Já pensou como as pessoas poderiam ser mais felizes e as empresas muito mais agradáveis para se trabalhar se todos usassem essas peneiras? – diz o chefe sorrindo, e continua …

- Da próxima vez em que surgir um boato por aí, submeta-o ao crivo das três peneiras antes de obedecer ao impulso de passá-lo adiante: Verdade, Bondade e Necessidade.

Pessoas inteligentes falam sobre idéias. Pessoas comuns falam sobre coisas. Pessoas medíocres falam (mal) sobre pessoas.

Pense um pouco: qual é o perfil das pessoas fofoqueiras? Em geral são pessoas infelizes consigo mesmas, com a vida, com o trabalho, com a família, enfim, nada pra elas tem uma razão nem um sentido positivo. A pessoa fofoqueira, como não tem perspectivas e nem motivação pessoal, ocupa o seu tempo julgando e falando mal da vida dos outros.

A fofoca chega até nossos ouvidos, geralmente com as seguintes frases: 

- Já está sabendo da novidade?
- Sabe da última?
- Você não vai acreditar…
- Nem te conto…

Independentemente da frase maldosa que venha a chegar aos seus ouvidos, pense: Se alguém fala mal de outra pessoa para mim, quem garante que quando eu viro as costas, esta pessoa não estará falando mal de mim também? 

Caso a fofoca venha acompanhada da seguinte frase: Vou te contar uma coisa, mas jura que guarda segredo? Desbanque o fofoqueiro com classe, dizendo: Se é um segredo seu, sinto-me lisonjeado por você confiar em mim. Caso eu não possa ajudá-lo, pelo menos ouvirei e guardarei segredo, mas se for um segredo sobre a vida de outra pessoa, por favor, não me conte, pois não quero saber! 

Não aproveite o impulso diante de uma situação para falar mal de alguém. Não julgue o todo por uma parte, e não julgue para não ser julgado. Lembre-se de que quando você aponta um dedo para uma pessoa na intenção de julgá-la, três dedos da sua própria mão se voltam contra você. 

A fofoca (rádio peão, rádio corredor, telefone sem fio) é um dos mais nocivos instrumentos de desagregação no ambiente de trabalho. O verdadeiro líder deve fazer uso destas três peneiras sempre que comentários mal-intencionados chegarem até ele. Não devemos esquecer que toda história tem pelo menos dois lados, e pra tomarmos decisões justas e acertadas, todos os envolvidos precisam ser ouvidos.